o caleidoscopio-literario está em fase de “hibernação”.

eu (filipe) e o vinícius, que começamos o projeto estamos tentando criar algo novo, algo que seja além do tumblr, novidades virão por aí, espero. 

"Não é necessariamente loucura achar que você está cercado de inimigos anônimos."

— "Dexter", de Jeff Lindsay.

204 notes

"Muita gente não tem a menor idéia de como o mundo gira. Mas ela é uma pessoa diferente."

— "Dexter", de Jeff Lindsay.

11 notes

"Vi então que aquela frase continuava martelando na minha cabeça, batendo nas pedras e fendas do meu cérebro."

— "Dexter", de Jeff Lindsay.

8 notes

"Seja lá o que me faz ser do jeito que sou, deixou um buraco vazio por dentro, incapaz de sentir. Não parece grande coisa. Tenho certeza de que a maioria das pessoas finge bastante no convívio diário com os outros. Eu apenas finjo completamente."

— "Dexter", de Jeff Lindsay.

37 notes

"Não posso nem ter bichos de estimação. Os animais me odeiam. Uma vez, comprei um cachorro e ele passou dois dias latindo e rosnando furiosamente para mim, sem parar, até que me livrei dele. Tentei uma tartaruga. Toquei nela uma vez, o bicho não saiu mais da casca e morreu dias depois. Preferiu morrer a me ver ou ser ocada por mim outra vez. Ninguém gosta de mim, nem jamais gostará. Nem mesmo, e principalmente, eu. Sei o que sou e isso não é coisa para ninguém gostar."

— "Dexter", de Jeff Lindsay.

2 notes
Quando se trata de Serial Killer da ficção, Dexter Morgan é com certeza um dos mais conhecidos. “Dexter, a mão esquerda de Deus” é o primeiro livro da série escrita por Jeff Lindsay. Dexter é atraente, educado, trabalha como perito de polícia e é acima de qualquer suspeita. Mas leva uma vida dupla. Fora dos olhos da sociedade é um assassino incomum e cruel, que mata aqueles que julga merecedores. Nesse livro, Dexter encontra um rival que usa os mesmos métodos que ele, e decide encontrar o assassino que segue seus passos, descobrindo que o rival também quer encontrá-lo. Só que o encontro faz ressurgir lembranças do passado, os fatos que transformaram Dexter em quem ele é e deveriam ser esquecidos.
Opinião sobre o livro: Não se pode poupar elogios para a escrita de Jeff Lindsay e a maneira que ela conduz a história. Dexter é sem dúvida um dos personagens mais intrigantes das histórias de crime. É o tipo de vilão que conquista os leitores e todo mundo ama. Vale lembrar que os livros deram origem à série de TV americana.
Resenha feita por Severina.

Quando se trata de Serial Killer da ficção, Dexter Morgan é com certeza um dos mais conhecidos. “Dexter, a mão esquerda de Deus” é o primeiro livro da série escrita por Jeff Lindsay. Dexter é atraente, educado, trabalha como perito de polícia e é acima de qualquer suspeita. Mas leva uma vida dupla. Fora dos olhos da sociedade é um assassino incomum e cruel, que mata aqueles que julga merecedores. Nesse livro, Dexter encontra um rival que usa os mesmos métodos que ele, e decide encontrar o assassino que segue seus passos, descobrindo que o rival também quer encontrá-lo. Só que o encontro faz ressurgir lembranças do passado, os fatos que transformaram Dexter em quem ele é e deveriam ser esquecidos.

Opinião sobre o livro: Não se pode poupar elogios para a escrita de Jeff Lindsay e a maneira que ela conduz a história. Dexter é sem dúvida um dos personagens mais intrigantes das histórias de crime. É o tipo de vilão que conquista os leitores e todo mundo ama. Vale lembrar que os livros deram origem à série de TV americana.

Resenha feita por Severina.

1 note

"A bela Galatea interrompeu:
- Papai, por que é que, antes de começar, não oferece ao comissário o famoso café do Nordeste? Só você sabe a receita secreta que mamãe deixou.
Euzébio Fernandes extraiu seu corpanzão da bergère.
- Boa idéia, minha filha. O comissário aceita um cafezinho?
- Com muito gosto.
O grande poeta dirigiu-se à cozinha, e o Coruja viveu um dos episódios mais angustiantes da sua vida. Quando Euzébio saiu pela porta da copa, Galatea, em silêncio, levantou lentamente a blusa, exibindo os mais lindos seios que Machado já tinha visto. Eram fartos e rijos, de bicos rosados. Ela o fitava com um sorriso de Mona Lisa. Molhou a ponta dos dedos com a língua e acariciou os mamilos, deixando-os ainda mais túrgidos. Seu olhar reluzia, carregado de promessas."

Assassinatos na Academia Brasileira de Letras – Jô Soares

(Source: caleidoscopio-literario)

"O veneno é a arma dos covardes."

Assassinatos na Academia Brasileira de Letras – Jô Soares

(Source: caleidoscopio-literario)

22 notes

"Sob o doce mel escondem-se os venenos terríveis."

Assassinatos na Academia Brasileira de Letras – Jô Soares

(Source: caleidoscopio-literario)

125 notes